Georgia: país desconhecido, mas que reserva boas surpresas para os turistas

No limite entre Europa e Ásia — mais precisamente na região de fronteira entre Rússia, Turquia e Armênia — existe um país ainda muito desconhecido, mas que reserva boas surpresas para o turista. Trata-se da Geórgia, um país formado após a unificação de diversos pequenos reinos em 1008 d.C. O país também foi dominado pela União Soviética até 1991, quando se tornou independente.

Com uma história complicada e fascinante, a Geórgia conseguiu deixar um legado arquitetônico inimitável de complexas cidades subterrâneas a ornamentadas catedrais. O povo preserva tradições centenárias em festas ao longo do ano e é famoso por receber muito bem os visitantes. No verão, o pequeno país nas margens do Mar Negro atrai turistas por suas praias -as mais belas desse canto do globo- e também para uma infindável variedade de atividades ao ar livre, caminhadas e passeios a cavalo e de bicicleta. Por todo o país, castelos e torres de observação que outrora serviam para identificar o avanço de tropas inimigas, hoje só fazem, às vezes, de terraço panorâmico para os turistas. A capital Tblisi ainda conserva um ar provinciano, embora seja nítido seu crescimento, com uma porção de edifícios de arquitetura moderna e uma vida jovem que ocupa as ruas, bares e cafés. Se algo permanece complicado, é a dificuldade de definir a Geórgia.

O país também conta com belezas naturais características da região, como o tranquilo e enigmático Mar Negro, as montanhas imponentes do Cáucaso, além de cachoeiras e rios que cortam um território que ainda conta com 40% da vegetação preservada.

o povo

Os georgianos são um povo muito hospitaleiro, amistoso e orgulhoso de suas raízes e tradições, além disso, adoram conversar com turistas. Se você tiver a oportunidade de visitar uma casa de família local, não importa quão rica ou quão humilde, será tratado como um rei. Sem dúvida, eles te farão sentir-se especial. Nos vilarejos menores, muitas vezes as pessoas vão fazer questão de cuidar de você como se seu bem-estar fosse responsabilidade deles.

a cultura

O país também conta com belezas naturais características da região, como o tranquilo e enigmático Mar Negro, as montanhas imponentes do Cáucaso, além de cachoeiras e rios que cortam um território que ainda conta com 40% da vegetação preservada.

o povo

Os georgianos são um povo muito hospitaleiro, amistoso e orgulhoso de suas raízes e tradições, além disso, adoram conversar com turistas. Se você tiver a oportunidade de visitar uma casa de família local, não importa quão rica ou quão humilde, será tratado como um rei. Sem dúvida, eles te farão sentir-se especial. Nos vilarejos menores, muitas vezes as pessoas vão fazer questão de cuidar de você como se seu bem-estar fosse responsabilidade deles.

Museu Nacional

o clima

Apesar do pequeno tamanho da nação, o clima do país é muito variado. A sua posição caracteriza o clima, que varia entre o clima ameno, mas muito chuvoso da zona costeira, o clima continental seco da parte oriental do país e o clima alpino das áreas montanhosas do Cáucaso que atuam como uma barreira protetora contra a infiltração do ar frio do norte.

a culinária

Os georgianos são também muito orgulhosos de sua culinária. E não é para menos! A cozinha georgiana é muito variada, com base em suas raízes rurais e história austera. Os pratos mais famosos são o khachapuri, uma massa parecida com a de pizza e recheada com queijo e que vem em várias versões (O acharuli khachapuri é uma das versões mais famosas em forma de gôndola normalmente servido com ovo cru e manteiga). Outro prato muito popular e excelente é o Khinkali, que são bolsinhas de massa recheadas com carne moída, queijo, batatas ou champignon, parecidos com os dumplings.

Acharuli khachapuri

A proximidade com a Turquia faz com que a culinária georgiana sofra algumas influências de seu vizinho, especialmente em relação às sobremesas. Docinhos turcos e a famosa bakhlava já fazem parte dos cardápios da Geórgia.

o excelente vinho local

A história do vinho é imprecisa, já que a bebida foi criada antes mesmo da escrita. Mas estima-se que em algum lugar nas montanhas da Geórgia entre 8000 a.C. e 5000 a.C., um fazendeiro descuidado acabou esquecendo um punhado de uvas amassadas dentro de um recipiente. Com o tempo, as frutas sofreram fermentação, exalando um aroma típico que chamava a atenção de quem passava por perto. Alguém não resistiu e resolveu experimentar – glup! O resultado você pode conferir hoje na sua taça.

Não à toa, o símbolo do país é a Kartlis Deda (“Mãe dos Georgianos“, no idioma local), visível de todos os lugares da capital Tbilisi. A mensagem é clara: “Para os amigos, vinho. Para os inimigos… a espada.”

O vinho é parte tão integrante do cotidiano local que os jardins de muitas casas são decorados com videiras e muitas pessoas produzem seu próprio vinho em casa.

mercado das pulgas

mercado das pulgas

O mercado de pulgas de Tbilisi é o lugar certo para fazer suas “aquisições culturais”. Por lá é possível encontrar uma infinidade de medalhas, moedas, uniformes, estatuetas, penduricalhos e até mesmo documentos reais do período comunista – está tudo à venda!- A visita vale muito a pena, nem que seja para fotografar os objetos que são parte do passado recente do país.

O mercado de pulgas de Tbilisi é o lugar certo para fazer suas “aquisições culturais”. Por lá é possível encontrar uma infinidade de medalhas, moedas, uniformes, estatuetas, penduricalhos e até mesmo documentos reais do período comunista – está tudo à venda!- A visita vale muito a pena, nem que seja para fotografar os objetos que são parte do passado recente do país.

o idioma

A língua oficial da Geórgia é o georgiano, usado nos assuntos do governo, comércio e educação e falado por cerca de 71% da população. Outros idiomas são reconhecidos co-oficialmente em regiões autônomas, como o abecásio, que é a língua oficial da Região Autônoma da Abecásia, e a língua osseta, oficial na Ossétia do Sul.

O georgiano é escrito em seu próprio alfabeto, possui 33 letras e não está relacionado com nenhuma outra língua principal na área das proximidades. Ele forma com alguns parentes próximos, o grupo linguístico das cartevélicas. O Georgiano foi reconhecido como língua oficial do país em 1918, e durante o período de ocupação soviética e serviu como um importante apoiador da identidade nacional da Geórgia. O governo soviético tentou, em 1978, alterar o status da língua oficial na Geórgia, declarando que o russo deveria ser adotado como idioma oficial ao lado do georgiano em toda a região do sul do Cáucaso, sob governo de Moscou. Entretanto, devido a várias manifestações civis na Geórgia, os interesses soviéticos cessaram e o georgiano permaneceu como idioma principal. Ainda assim, durante o período soviético, a língua russa desempenhou um papel significativo na região, particularmente na administração.

As línguas mais difundidas fazem parte do grupo das cartevélicas, cujos principais são o georgiano, suana, mingrélia e laz. Outras línguas minoritárias também são faladas, como o russo, armênio, azeri e outras línguas. A língua georgiana é escrita em três scripts únicos, que de acordo com relatos tradicionais, foram inventados pelo rei Farnabazo I no século III a.C.

curiosidade

O nome do país na língua local é “Sakartvelo”.

dica

Saiba o que fazer para dirigir fora do país sem problema

A melhor época para uma viagem à Geórgia são os meses de primavera e verão, de maio a setembro. Nos meses de verão, as áreas montanhosas do país apresentam um clima frio semelhante ao dos Alpes. Julho e agosto são os melhores meses para fazer caminhadas nas montanhas. Se você deseja passar férias à beira mar na costa do Mar Negro, os meses entre junho e agosto são excelentes.

Quer viver a viagem que você merece? A memorial proporciona uma experiência única a todos os nossos clientes, através de serviços personalizados, roteiros exclusivos e planejamentos minuciosos. Venha viver a legítima #ExperienciaMemorial!

Fonte: Sabedoria & Cia, Travel with Pedro e Latitudes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhe este post

Mais Posts